Posted by: gluedtke | September 8, 2012

O que é Comunicação técnica?

Infelizmente esta ainda é uma área pouco conhecida e divulgada no Brasil, muito diferente do que acontece fora do Brasil onde os profissionais dessa área são reconhecidos e respeitados possuindo inclusive associações que congregam esse tipo de profissional como por exemplo a STC nos EUA, http://www.stc.org.

A comunicação técnica é a área responsável pelo desenvolvimento e criação de informações sobre processos técnicos ou produtos direcionados para públicos específicos através de mídias digitais ou impressas. Os comunicadores técnicos normalmente trabalham colaborativamente na criação dos materiais para as mais diversas mídias, incluindo papel, vídeo, internet e E-learning. Os materiais técnicos podem ser constituídos de manuais de instruções, catálogos técnicos de especificação do produto, materiais informativos de apoio à vendas e marketing, produção de conteúdo para treinamentos presenciais e  à distância.

Considerando o papel relevante da comunicação técnica como um dos elos de ligação com o cliente é indispensável que os profissionais da área tenham uma sinergia com os vários departamentos da empresa principalmente entre os setores de marketing, vendas e engenharia a fim de que sejam traduzidas de forma correta a linguagem de comunicação desejada para cada público alvo.

A grande diversidade de serviços em que uma agência de comunicação técnica pode atuar torna necessário a realização de um planejamento estratégico bem estruturado a fim de evitar que a agência perca o foco de seu trabalho e possa concentrar esforços para áreas em que possua maiores competências e habilidades.

No Brasil uma das maiores agências de comunicação técnica é a Luedtke, que está localizada no Rio Grande do Sul e é uma referência em termos de desenvolvimento de manuais de instruções, manuais técnicos, conteúdo para treinamentos e produção multimídia. Para maiores detalhes acesse: www.luedtke.com.br

 

Advertisements
Posted by: gluedtke | June 1, 2012

Tentando obter ressarsimento em acidente de trânsito

Em meados de Dezembro de 2011 a minha esposa estava dirigindo na BR 116 em direção à São Leopoldo quando na altura da Sinaleira da João Correia (uma das vias de acesso à São Leopoldo) o carro dela (uma Zafira) foi atingido por trás por outro veículo, um Corsa classic. É que o sinal fechou e ela obviamente parou, na frente dela haviam outros veículos que também pararam e este indivíduo com o Corsa, supostamente distraído não conseguiu frenar a tempo.

Após a colisão o correto seria chamar alguma autoridade , no caso ali a Polícia Rodoviaria Federal, mas o cara implorou de todas as formas para não chamar a polícia naquele momento pois ele estaria com os documentos irregulares (IPVA atrasado). Minha esposa assustada me ligou pedindo orientações, eu disse a ela, olha acho que tem que chamar a polícia esse é o procedimento padrão até mesmo para o caso de acionar o seguro. Mas ele estava tão apavorado que estava ameaçando se evadir do local, no fim das contas a minha esposa aceitou a proposta dele de irem à um posto da Delegacia de Polícia para registrar a ocorrência, só que ao saírem dali ele mudou o rumo e primeiro levou o carro diretamente para casa.

Depois de alguns minutos de espera na delegacia no fim das contas ele compareceu e a ocorrência foi registrada de acordo com os fatos ocorridos. Ele deixou telefone e dados para entrarmos em contato a fim de acertar os prejuízos do ocorrido. Fizemos orçamentos em três oficinas, inclusive uma delas indicada pelo próprio condutor do Corsa Classic, e acabamos deixando nesta oficina para fazer o concerto. Valor do prejuízo, R$1.122,00.

Após várias tentativas de negociação para obtermos o ressarcimento do prejuízo já estávamos percebendo que ele não iria pagar, pois só dava respostas evasivas e dando a entender que iria pagar quando quisesse. Sem outra saída abrimos um processo no juizado de pequenas causas em São Leopoldo, isto já em meados de Janeiro deste ano, narrados os fatos foi marcada a primeira audiência e emitido uma carta de intimação para que o indivíduo comparecesse à audiência no dia 16 de Fevereiro.
Primeira Audiência de Conciliação

Resultado, já na primeira audiência ele não compareceu, e nada a fazer a não ser marcar nova audiência. O conciliador marcou uma nova audiência para início de Março.
Segunda Audiência de Conciliação

Chegado o dia finalmente ele compareceu, e sabe o que ele disse? – Vou contestar a ação. O Conciliador então perguntou porque ele iria contestar. E ele simplesmente disse que era um direito dele.
Minha esposa que já é mais explosiva, quase saltou por cima da mesa para esganar o imbecil. Mas não adianta nessas situações é imprescindível manter a calma e sangue frio. Resultado, marcada nova audiência com uma recomendação, que ambos trouxessem um advogado e testemunhas, se tivesse, o que foi lavrado no documento oficial e assinado por todos nós.

Terceira Audiência de Conciliação

Providenciamos um advogado e também levamos uma testemunha, um funcionário nosso que estava no carro junto com a Iara no dia do acidente, pois o mesmo estava pegando uma carona até o centro de São Leopoldo. Para surpresa nossa o cara veio sem advogado. Aberta a seção o Conciliador logo começou indagando se poderíamos chegar a um consenso e resolver essa situação. Para surpresa nossa o cara disse que não tinha sido avisado que era para trazer advogado e que isso não tinha ficado claro para ele na última audiência, mesmo estando isso escrito no termo de audiência e assinado por ele também. Sabem o que ele contestou? a forma como a redação foi escrita e pasmem, o conciliador leu novamente o texto e disse, “é realmente essa redação não está boa a gente já teve outros casos aqui em que a redação não fora explícita, já estamos vendo para resolver esse tipo de problema aqui no fórum”. E como ele estava sem advogado a audiência não poderia prosseguir pois ele estaria em desvantagem técnica. Mas o meu advogado ainda tentou negociar, afinal é um valor relativamente baixo e nós já havíamos tentado facilitar de todas as formas para ele. Mas ele simplesmente disse “quero contestar a ação”. O meu advogado então perguntou qual seria a tese? E ele então disse que alega a tese de “culpa concorrente”, ou seja, a minha esposa também seria culpada pelo fato de ele ter batido na traseira do nosso carro. O nosso advogado então percebendo que o indivíduo estava só de malandragem, então fez uma proposta inusitada. Encerrar o processo; por um momento todos fomos pegos de surpresa inclusive o próprio réu que por um momento ficou sem resposta até que caiu a ficha. O réu então indagou, – Tu vais abrir um novo processo contra mim? O meu advogado não respondeu e voltou a fazer a pergunta. Eu logo captei a idéia do advogado, começar um processo novo com outras argumentações e pedido de indenização maior como por exemplo o carro parado e todos os transtornos ocorridos. Por um momento fiquei em dúvida, o que fazer agora, no estágio em que nos encontramos talvês mais uma ou duas audiências o caso poderia estar resolvido, por outro lado um processo novo poderia levar um tempo indeterminado e ainda mais perda de tempo. Bom resumo da história, audiência encerrada e processo encerrado, ao saírmos indaguei o advogado e ele disse. – Gente vocês viram? o cara é um baita de um malandro só quer se safar usando as artimanhas da lei, então se é pra brigar então tem que ser pra valer, vamos pedir indenização por veículo parado, tempo perdido e tudo o que for possível.

Mas agora sinceramente falando, eu não sei se quero continuar com essa briga, Eu e minha esposa só vamos perder tempo, vamos nos estressar um monte e no fim das contas não sei se vai valer a pena o desgaste. Eu penso que esse tipo de gente que só pensa em tirar vantagem em tudo tem vida curta. Um dia ele vai se deparar com alguém realmente pavio curto e mete uma bala na cabeça dele e ele nem vai saber porque.

Posted by: gluedtke | January 3, 2012

Estes foram os acessos ao meu blog em 2011

Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2011 deste blog.

Aqui está um resumo:

Um bonde de São Francisco leva 60 pessoas. Este blog foi visitado cerca de 2.100 vezes em 2011. Se fosse um bonde, eram precisas 35 viagens para as transportar.

Clique aqui para ver o relatório completo

Posted by: gluedtke | March 18, 2011

2012 Yamaha Super Ténéré Video, movies

2012 Yamaha Super Ténéré Video, movies.

Posted by: gluedtke | August 11, 2010

Dependentes Digitais

Eu sempre fui um aficcionado pela tecnologia, acompanhei o surgimento da internet no Brasil, o estouro da bolha .com, o surgimento do celular, inclusive fui um dos primeiros usuários de celular no RS, o aparelho era tão grande que nem cabia na minha maleta executiva.

Já tive relógio com agenda de contatos, agenda eletrônica de 64kb ainda no início da década de 90. Posteriormente quando surgiu o primeiro Palm Top, eu também já fui correndo atrás para ter o meu.

Porém essa busca frenética por tecnologia já me deixou na mão algumas vezes, com perda de dados e informações e a última foi a alguns dias atrás quando estava dirigindo nas estradas de São Paulo e tinha que localizar um endereço numa rodovia específica.

Tratava-se do KM 88 da Rodovia Edgard Máximo Zamboto em Atibaia, SP. Porém quando tentava colocar o endereço no GPS a tal rodovia não aparecia para a cidade de Atibaia, foram várias tentativas frustantes e nada. Bom pensei comigo, já que joguei fora os meus velhos mapas de papel (offline), vamos ao mapa online através do google maps, já que eu estava com o meu Tablet PC e o modem 3G. O problema é que não havia sinal de 3G apenas o famigerado EDGE. Liguei o Tablet, conectei o modem e coloquei para carregar o Google maps, obviamente que entre carregar a página e localizar o endereço se vai uma eternidade a ponto de eu desistir e partir para o velho e infalível método de perguntar a um frentista de posto de gasolina. Depois de muito quebrar a cabeça e quando já estava próximo do meu destino resolvi tentar novamente programar o endereço no GPS só que dessa vez, num golpe de intuição, tentei usar como parâmetro uma outra cidade (Jarinu), como é que eu vou adivinhar que essa rodovia estava registrada para Jarinu, eu nem sabia que essa cidade existia no mapa. E assim cheguei ao meu destino obviamente com atrazo e tendo que justificar meu atraso ao cliente.

E assim é a tecnologia, um mal necessário, ela é muito boa e muito útil, porém, às vezes pode falhar e deixar a gente empenhado.

Posted by: gluedtke | July 26, 2010

Educação dos Filhos, com palmadas ou sem palmadas?

Ultimamente muito se tem falado sobre educação dos filhos e o uso ou não de palmadas. O tema ganhou status de discussão no parlamento brasileiro e até passou por sansão presidencial.

Bom, bem ou mal pelo menos o tema gerou discussão no Brasil e ouvimos as mais variadas posições de psicólocos, pais, autoridades e até mesmo as próprias crianças.

Neste artigo quero manifestar a minha opinião como pai. Um pai como o é, a maioria dos brasileiros, que trabalha fora o dia inteiro, que estuda e que muitas vezes precisa viajar e com isso às vezes tendo que se ausentar do seio do lar por vários dias.

Gostaria de relembrar o dia em que soube iria ser pai. O primeiro pensamento que me veio na cabeça foi; como é que é ser pai? será que vou saber brincar com meu filho? Será que vou conseguir ensinar tudo o que é necessário e correto a ele? Será que terei condições de dar a ele tudo o que precisa?

As respostas foram surgindo naturalmente, eu não sou um cara daqueles extrememante estrovertidos e brincalhões. Sou do tipo mais sério e de poucas palavras, mas é incrível, quando agente tem amor e vontade de querer fazer as coisas a vida vai naturalmente ensinando você, nunca li nenhum manual de instruções ou livro sobre como educar filhos.

Sempre que possível brinquei com minhas filhas, li livros de histórias infantis, contei muitas histórias e acompanhei e continuo acompanhando elas em todos os momentos mais importantes da vida delas. Atualmente (2010) minha filha mais velha está com 20 anos e a casula está com 13 anos elas me consideram um exemplo de pai e me veneram como um herói. Me sinto um pai feliz e realizado pois ao longo desses anos fui construindo uma relação afetiva de muito respeito e admiração. Tanto eu como minha esposa cada um no seu papel sempre procuramos ensinar os valores da vida através de exemplos que nós mesmos iamos vivenciando e assim elas vão construindo suas personalidades, cada uma com suas características próprias.

É claro que houve momentos em que tivemos que aplicar lições duras e impor limites que muitas vezes não gostaríamos, até mesmo palmadas já foram necessárias, mas a cabeça de uma criança é como um disco virgem que precisa ser formatado. Impor limites significa dar um norte para a criança, os pais devem ser uma âncora e um porto seguro, para seus filhos, construindo assim um referencial que ninguém irá tirar. Só assim você irá proteger seu filho das adversidades e hostilidades que existem por aí na rua.

Um pai ou uma mãe possuem diversos momentos e oportunidades que são muito importantes para solidificação do vínculo com seus filhos, e um dos mais importantes é quando seu filho diz: Paieeee, brinca comigo? Ou Maieeee brinca comigo???? Este é o sinal mais claro de que seu filho está pedindo um minuto de atenção. Quando seu filho diz isso, não exite brinque, não importa se você não sabe brincar ou se não leva jeito, entre no jogo da criança e ela lhe ensinará a ser criança quando você menos perceber já estará brincando e se enrolando no chão. Você não imagina o significado que isso tem para uma criança, seja rica ou seja pobre esses momentos ficarão registrados para sempre na mente dessa criança. Agindo dessa forma com certeza não serão necessários palmadas pois o vínculo de respeito que é formado é muito maior. É lógico que cada criança é um mundo a parte e às vezes umas precisam de mais limites que outras mas isso cada pai ou mãe devem der a sabedoria de conduzir e aplicar os corretivos na medida certa sem espancamentos.

Porém, nem sempre as crianças manifestam isso de maneira explícita, às vezes elas manifestam sua carência através de atitudes de rebeldia e agressividades, são sinais que os pais precisam ficar atentos e não tentem suborná-los através de presentes materiais. O melhor presente que você pode dar a seu filho é sua atenção, dedicação e participação.

Posted by: gluedtke | November 5, 2009

Dell se atrapalha no atendimento ao cliente

Gostaria de relatar um caso de descaso da Dell para com seus clientes.
No dia 04 de setembro deste ano (2009), configurei e efetuei o fechamento de uma compra pelo site da Dell (um notebook Vostro 1520 com processador core 2 duo 2.53ghz, 4gb de ram, HD 320gb, tela de 15″, bluetooth, etc,).
Na verdade é a primeira vez que faço uma compra através dessa modalidade da Dell, nas outras vezes sempre fiz a compra através do 0800 e sempre fiz as tratativas com um consultor de vendas.
Já sou cliente da Dell desde 2005 e já comprei 1 servidor, uma workstation para engenharia, 4 desktops Optiplex e 3 notebooks.
Sempre fui fã incondicional da Dell devido a qualidade dos equipamentos e seu excelente atendimento de pós-vendas.
Desta vês fiquei muito decepcionado e tive que comprar um notebook de outra marca pois eu não podia esperar mais tanto tempo para receber a mercadoria.
Como falei anteriormente no dia 04 de setembro efetuei a compra pelo site da Dell, passei meus dados de cartão de crédito e comecei a monitorar o meu pedido pelo site.
A partir do terceiro dia eu comecei a estranhar porque o meu pedido não aparecia como “status” em produção nem sequer um prazo de entrega.
Liguei para a operadora do meu cartão de crédito e eles informaram que um pedido de compra havia sido autorizado.
Esperei mais alguns dias e subitamente o meu pedido fora cancelado.
Então liguei para o setor de suporte à vendas, após várias horas de espera ao telefone, além de várias quedas da ligação, finalmente alguém me atende para explicar o que aconteceu.
O atendente disse que devido a um problema interno na produção, eles tiveram que cancelar aquele meu pedido e gerar um novo pedido.
O mais curioso é que alguém lá da Dell me ligou no dia anterior perguntando porque eu tinha cancelado o pedido, daí eu tive que explicar que não fora eu quem cancelou o pedido, mas sim a própria Dell, e eu nem sequer tinha sido informado.
De posse do novo número de pedido, continuo minha saga monitorando o pedido pelo site, porém nada de avanços.
No dia 17 de setembro ligo novamente para o setor de suporte à vendas, novamente horas de esperas e tentativas para ser atendido, isto me fez lembrar o atendimento de uma operadora de telefonia.
Quando finalmente alguém me atende, uma atendente com o nome de Gabriela, disse que iria ver o que está acontecendo e depois me daria um retorno, mas isto não acontece.
No dia 22 de setembro novas tentativas de encontrar uma resposta, várias ligações, várias horas de espera ao telefone.
Quando finalmente sou atendido pelo Rodrigo, do setor de suporte à vendas, expliquei toda a situação a ele depois de algum tempo de silêncio ele me responde que o pedido ainda não foi autorizado pelo financeiro para ir à produção. Mas como, se o pagamento já tinha sido autorizado pela operadora do cartão de crédito no dia 05 de setembro?
E para aumentar o meu desagravo, ele teve a capacidade de me dizer que não sabia quando este pedido poderia entrar em produção, talvês nos próximos dias, segundo ele.
Naquele momento, indignado, eu cancelei o pedido, imaginem só no ato do fechamento do pedido eles dizem que 10 a 15 dias, estarei recebendo o produto em minha casa, mas já tinham se passado 18 dias e o meu pedido nem sequer tinha sido liberado para a produção.
Ah, e mais um detalhe, o débito da primeira parcela já foi feito no meu cartão de crédito e demoraram mais de 30 dias para fazer o extorno e liberar o meu cartão.
Toda a minha peregrinação está registrada no meu twitter conforme os fatos iam se desenrolando.
Lamentavelmente não pude comprar um notebook Dell, como falei no início, sempre fui fã incondicional dos produtos Dell pela sua qualidade e excelente atendimento pós-vendas. Só que agora eles conseguiram me decepcionar, e percebi um total descaso da equipe de suporte a vendas para com um cliente.
Posted by: gluedtke | November 13, 2008

O Design de Manuais de Instruções

Você costuma ler os manuais de instruções dos produtos que você compra?

Muitas pessoas encaram o manual de instruções como um mal necessário e pouquíssimas pessoas tem o hábito de ler o manual antes de manusear o produto que compraram.

Mas porque as pessoas não lêem o manual de instruções? Existem várias razões, a seguir cito algumas das razões:

uma delas é que o brasileiro não possui o hábito da leitura, outro fator é de que o brasileiro é muito visual, portanto ele prefere ler textos que são acompanhados de ilustrações.

Normalmente as pessoas tentam descobrir por conta própria como as coisas funcionam, se conseguirem colocar o produto em funcionamento, o manual nem sequer é retirado de sua embalagem.

Outro fator a ser levado em conta é a maneira como os manuais de instruções são escritos e diagramados. Escrever manuais de instruções não é uma tarefa das mais simples e vários são os fatores que devem ser considerados. O principal deles é o design do manual, na era em que vivemos as pessoas são cada vez mais visuais, por isso o tratamento do visual gráfico do manual deve ser

Posted by: gluedtke | December 2, 2007

Resenha do livro Weaving the Web – de Tim Berners-Lee

O livro conta a epopéia de Tim Berners-Lee, o inventor da World Wide Web.  

Nos últimos quinhentos anos, diversas descobertas contribuiram para o salto de desenvolvimento intelectual que a humanidade se encontra atualmente, desde a tipografia de Guttemberg em 1436, passando pela invenção da eletricidade por Tomas Edison em 1879,  a invenção do telégrafo e do telefone por Alexandre Gran Bell, o desenvolvimento do rádio por Guglielmo Marconi, e mais centenas de outras descobertas e invenções que facilitaram a vida de milhares de pessoas no mundo inteiro. Porém, uma das mais importantes invenções do século é sem dúvida a que estamos vivendo atualmente a World Wide Web”. 

Como tudo começou

As primeiras pesquisas para a comunicação entre computadores surgiram no início da década de 60 e lá se foram trinta anos de pesquisas período no qual a Internet era acessível basicamente à universidades, órgãos de pesquisa e instituições militares, até que, na década de 80 um gênio chamado Tim Berners-Lee começa a desenvolver uma linguagem capaz de universalizar o uso da Internet e torná-la acessível a todos nós como está sendo atualmente. Tim Berners-Lee é considerado uma das 100 mentes mais brilhantes do século XX e atualmente ele ocupa o cargo de diretor do consórcio World Wide Web, coordenando a estrutura de desenvolvimento da Web, além de presidir também o laboratório de Ciências da Computação do MIT (Massachusetts Institute of Technology).

Em seu livro Weaving the Web (Tecendo a Web) Berners-Lee conta a sua trajetória como pesquisador e idealizador dos conceitos e idéias que nortearam o desenvolvimento dos primeiros softwares de navegação intuitiva. O pai e a mãe de Berners-Lee eram matemáticos e também trabalhavam com programação de computadores, eles estavam muito empolgados com a idéia de programar um computador para que ele pudesse executar tarefas mediante instruções previamente definidas, dentro de uma determinada lógica, porém, o computador possui restrições, bem diferente da mente humana que possui a habilidade de fazer ligações aleatórias aos dados memorizados. Berners-Lee cita um exemplo: “quando eu sinto um aroma de café forte, eu me transporto imediatamente para uma pequena sala localizada em cima de uma casa de café em Oxford. Meu cérebro faz o link, e instantaneamente me transporta para lá.”Um dia, Tim Berners-Lee chegou em casa do colégio e encontrou seu pai elaborando uma conferência para Basil de Ferranti. Ele estava lendo livros sobre cérebro, procurando por pistas sobre como fazer um computador intuitivo, capaz de completar conexões como o cérebro as faz. Ambos discutiram um pouco o assunto e aquilo ficou na mente de Berners-Lee durante todos os seus estudos até sua graduação em Física na Universidade de Oxford em 1976. 

Os primeiros passos para a Web

Em 1980, Tim Berners-Lee foi trabalhar no CERN (Centro Europeu de Pesquisas Nucleares), porém ele foi contratado apenas como físico. Berners-Lee ficou impressionado com a quantidade de computadores e parafernálias eletrônicas que estavam em operação. Eram milhares de cientistas e profissionais que trabalhavam fazendo pesquisas e produzindo documentação. Os computadores, eram gigantescos mainframes que ocupavam salas inteiras, para um cientista ter acesso a um computador era uma verdadeira romaria, tinha até fila para usar computador e muitas informações acabavam tendo que ficar na cabeça dos cientistas. Por incrível que pareça muitas vezes as informações eram passadas de uma pessoa para outra nas conversas nas mesas de café estrategicamente dispostas nos corredores. Nas horas de folga Tim Berners-Lee escrevia algumas linhas do seu tão sonhado programa de navegação intuitiva que ele chamava de Enquire*.  “Quando obtive uma versão bem primitiva do software, eu comecei a usá-lo para rastrear quem escreveu qual programa, qual programa rodava em qual máquina e quem fazia parte de qual projeto.Discuções informais eram invariavelmente acompanhadas de diagramas em forma de circulos e flexas rabiscados sobre guardanapos e envelopes, porque isto era um meio natural de relacionar pessoas com equipamentos.No Enquire, eu pude digitar em uma página informações sobre uma pessoa, um dispositivo ou um programa. Cada página era um ‘nó’ dentro do programa, como se fosse um cartão de índice. Os links de um nó para outro eram indicados por uma lista numerada no rodapé de cada página.Eu adorei Enquire, e fiz um bom uso dele porque armazenava informações sem o uso de estruturas como matrizes ou árvores. O cérebro humano usa esse tipo de estrutura de organização o tempo todo.” Assim, Berners-Lee foi expandindo o uso do seu programa, e ele o fez de tal maneira que só dava para acrescentar uma nova informação se esta fosse ligada a uma informação já existente. A cada novo link adicionado ele fazia uma descrição a que era relacionado. Ele aprimorou o seu “software” e criou links dentro das páginas e também de dentro das páginas para outros arquivos.    

O aprimoramento e a padronização

Após um determinado período, ele saiu do CERN e continuou suas pesquisas vindo posteriormente a desenvolver um protocolo para facilitar a comunicação entre diferentes computadores. Nascia o TCP (Transmission Control Protocol), um protocolo que permite um computador enviar dados a outro computador, quebrando a informação em pequenos pacotes e remontando-o novamente no outro lado.O TCP funciona em conjunto com o IP (Internet Protocol), o IP é como se fosse um CEP, cada computador ou servidor Web conectado deve possuir um IP para poder enviar ou receber pacotes pela internet. Por exemplo, no exato momento em que conectamos o modem ADSL para navegar na internet, o nosso computador manda um sinal para o provedor de acesso, e este então atribui um IP ao nosso computador para que possamos continuar a navegação.Paralelamente, Berners-Lee também desenvolveu a linguaguem HTML (Hyper Text Markup Language), uma linguagem universal que pode ser lida por qualquer computador de qualquer fabricante e de qualquer sistema operacional sem distorções ou perda de dados, para isso é usado o protocolo HTTP (Hypertext Transfer Protocol).O HTTP é um protocolo tão simples que permite a exibição de páginas Web com incrível rapidez.Berners-Lee ainda descreve no livro como foi o processo de padronização e definição das regras e estruturas da internet, o envolvimento de outros pesquisadores e instituições, o surgimento dos primeiros navegadores para internet, a batalha entre Netscape e Microsoft Explorer, a expansão dos servidores de acesso, a entrada das empresas com a publicação de suas homepages, a guerra entre provedores para a conquista de mais e mais usuários e como foi sua espansão no mundo inteiro. 

O futuro da Web

No livro, Berners-Lee expõe seu sonho para o futuro da Web. O sonho dele se divide em duas partes. Na primeira parte, a Web como uma poderosa ferramenta de colaboração entre as pessoas de maneira intuitiva e não somente através de um browser, mas a possibilidade de poder criar e interagir.Na segunda parte de seu sonho, a possibilidade de os computadores trabalharem para nós. As máquinas seriam capazes de analizar os dados da Web – o conteúdo, links, e transações entre pessoas. É a “Web Semântica” , quando isso acontecer as transações de negócios, burocracias e a vida no nosso dia a dia será administrado pelas máquinas, liberando as pessoas para a “inspiração e intuição”.   * inquirir, investigar, interrogar; pesquisar; indagar

Posted by: gluedtke | October 23, 2007

Manuais de instruções

O texto abaixo foi escrito por Gilmar Luedtke, Sócio da empresa de comunicação técnica Luedtke Assessoria Industrial Ltda. (www.luedtke.com.br)

Ultimamente tem se falado muito sobre manuais de instruções, principalmente naquela semana e nos dias subseqüêntes em virtude de informações contidas no manual de instruções do avião da TAM.

Os manuais de instruções são peças vitais que acompanham qualquer tipo de produto. Desde o mais simples eletrodoméstico, passando por todos os tipos de eletroeletrônicos, máquinas agrícolas e industriais das mais complexas possíveis.

Via de regra as pessoas não gostam de ler manuais de instruções, as pessoas compram o produto e primeiro tentam usá-lo intuitivamente, quando não conseguem usá-lo recorrem ao manual de instruções.

É de fundamental importância que o manual seja claro e conciso. A responsabilidade de quem elabora manual de instruções é muito grande.

O redator precisa conhecer o produto, se não conhecer deve tomar todas as informações acerca do produto para poder desenvolver um bom manual que possa ser entendido pelo pelo usuário/leitor.

Termos afins: Manuais de instruções, Manuais técnicos, Catálogos técnicos, Catálogos de peças, Treinamento.

Para mais detalhes acesse: www.luedtke.com.br

Older Posts »

Categories